quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Eleitor, essa é pra você!

Obrigado, eleitor.
Obrigado por me eleger.
Obrigado por me reeleger.
Obrigado mais ainda por me compreender, pois meu nome não estava na lista da ficha limpa.
Mas isso não pode, eu sou político profissional, não posso ficar sem meu sagrado direito de exercer minha profissão.
Como não posso expressar tudo aquilo que sinto pelo povo do meu estado, deixo que meu filhão, orgulho do papai, faça isso por mim.
Mostra a língua pro povão miúdo que elegeu o papai, meu filho!

--------------------
(E. R. M., 28/12/11)

======
Fonte da imagem: Folha de São Paulo

domingo, 11 de dezembro de 2011

Sou branco, e daí?

Para começo de conversa, não sou racista, mas...
Sou branco, e não tenho orgulho disso.
Sou branco, tenho sangue português mas nem por isso sou burro.
Sou branco, mas nunca fui rico.
Sou branco, mas eu nunca tive escravos africanos, nem meus ancestrais tiveram.
Sou branco, e daí? Até porque não sou "BRANCO 100%".
Eu também tenho raça, mas ela não tem nenhum dia da consciência para elevar minha auto-estima.
Se você é de alguma “minoria” e precisa ter orgulho dela para se afirmar, não me culpe por seu sentimento de inferioridade.
Sou branco, “tem culpa eu”?
Sou branco, mas não me acho melhor do que os outros só por isso.
Sou branco, mas não me culpe por seus fracassos.
Sou branco, mas que culpa eu tenho se meu povo resolveu tomar conta “dessa zorra toda” e quis trazer um pouco de civilização ao Novo Mundo?
Resumindo: em terra de pardo, é maldição ser branco.

--------------------
(E. R. M., 12/12/11)